29/08- Dia nacional do combate ao fumo!

Hoje é o dia nacional do combate ao fumo, uma data importante que deve ser lembrada e levada a sério, tanto por nós cidadãos, quanto pelas instituições.

Você provavelmente conhece as consequências do tabagismo na saúde de uma pessoa, já que as próprias embalagens possuem as advertências. Mas, você sabia que o fumo também impacta consideravelmente o meio ambiente?

 

Quando o problema é sério ele envolve muito mais esferas do que imaginamos! Não estamos falando apenas de saúde pública, mas de impacto ambiental. Trouxe para vocês um pouco sobre o efeito do tabagismo, e a importância de o combatermos.

 

História

 

A história do tabaco é bem extensa e antiga, estima-se que era utilizado pelos índios e que o hábito foi disseminado e aperfeiçoado pelos europeus. Antigamente, fumar era, para o homem, símbolo de masculinidade e força, e para a mulher, sinal de charme e conquista.

O cigarro fazia parte das reuniões, dos locais públicos e, principalmente, da indústria hollywoodiana, onde mocinhos e donzelas sempre apareciam nas cenas com algum cigarro.

 

Depois do aparecimento de inúmeras doenças relacionadas ao hábito de fumar, deu-se início a uma campanha anti-tabaco, no qual o Brasil é referência mundial e desenvolve ações por meio do Programa Nacional de Controle do Tabagismo.

 

A produção do fumo e o meio ambiente: Qual a relação entre eles?

 

Mais do que nós imaginamos! O impacto ambiental de algum produto não deve ser levado em conta apenas pelo seu descarte, mas por todo o processo que ele está envolvido.

 

Temos grande parte da produção do fumo concentrada no Sul do país e é feito por agricultores familiares e proprietários. O cultivo afeta o ar, o solo, a água e causa desmatamento, mas o principal impacto ambiental é a contaminação do ar.

 

Vamos lá, acompanhe comigo: para obter safras cada vez melhores, os plantadores de fumo usam números absurdos de agrotóxicos, que coloca o trabalhador e todos ao redor em risco, já que ele é pulverizado e carregado pelo vento. Além disso, os agrotóxicos poluem os rios, contaminam lençóis freáticos e empobrecem o solo.

 

Outro problema recorrente, que acontece após a produção, são as queimadas causadas pelas bitucas de cigarro que são jogadas na estrada, além daqueles que são atirados em lagos, rios, mares, florestas e jardins que demoram em torno de cinco anos para se degradarem.

 

Tudo isso sem contar o mal à saúde que o cigarro faz. Com mais de 4,7 mil substâncias químicas consideradas tóxicas presentes em sua fumaça, o cigarro agrava doenças respiratórias, aumenta o risco de câncer de pulmão e diminui a vontade de praticar exercícios físicos.

 

É um grande impacto! Não podemos ignorar os efeitos. Não só hoje, mas todos os dias o combate deve ser feito com constância, no ensino, nas escolas, nas redes de saúde, enfim, é uma causa que deve contar com todos para ser vencida!

 

 

66

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *