MEU LIXO, MINHA RESPONSABILIDADE?

O que você faz com o lixo que produz? Descarta tudo sem sequer pensar a respeito? Estimular a reflexão acerca do tema é urgente, especialmente porque segundo o último levantamento do Ministério do Meio Ambiente, ao menos 56% dos municípios brasileiros recorrem a depósitos inadequados na hora de dar adeus ao lixo que produzem. Isso significa que mais da metade dos resíduos que produzimos acaba em lixões ou aterros controlados.

Mesmo sendo proibidos desde 2014, os lixões ainda predominam. Extremamente poluentes e um problema de saúde pública, os impactos causados pelo descarte impróprio são bem maiores do que imaginamos. A longo prazo, os danos são ainda mais alarmantes. Entenda porquê.

Lixão, aterro controlado e aterro sanitário

            Os lixões são espaços onde os resíduos são descartados diretamente no solo, sem qualquer proteção ou controle. São grandes provocadores de danos ao meio ambiente e à saúde de um modo geral. O chorume produzido contamina lençóis freáticos, rios, mares e o próprio solo. Normalmente localizados em áreas periféricas, acabam atingindo comunidades mais carentes e afastadas dos grandes centros.

Os aterros controlados são espaços com algum controle, mas insuficiente no que diz respeito ao impacto. Recebem lixo sem impermeabilização do solo, tratamento de gases ou controle do chorume. Acabam sendo nocivos e não atendem às recomendações da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Já os aterros sanitários são áreas controladas, que precisam de licenciamento ambiental para se estabelecer. Eles possuem um limite de recepção de resíduos e ficam em constante monitoramento. São, hoje, uma das melhores alternativas para a destinação de resíduos, contando inclusive com espaços no qual é produzida energia a partir do lixo, como o biogás.

Descarte incorreto de resíduos

            Segundo pesquisa feita pelo Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana (SELURB), os lixões e a incineração irregular de resíduos são responsáveis por 6 milhões de toneladas de gás carbônico por ano na atmosfera. Isso equivale a 3 milhões de carros à gasolina circulando. O meio ambiente é quem mais sobre com esses descartes irregulares. Assim, a primeira palavra que vem às nossas mentes é: poluição.

Mas essa poluição se dá de variadas formas e em diferentes escalas. A poluição atmosférica, por exemplo, está relacionada à contaminação por gases e é uma das grandes responsáveis pelo aquecimento global. Esses gases surgem principalmente da emissão de gases tóxicos provenientes das indústrias, da queima irregular de resíduos e da decomposição de resíduos em lixões.

A poluição hídrica, por sua vez, acontece quando há alteração físico-química de um corpo de água. Efluentes industriais, agrícolas e o próprio esgoto doméstico são os principais causadores desse tipo de poluição. O mercúrio, por exemplo, pode causar diversos tipos de câncer, dermatoses e alterações neurológicas.

O solo também não sai ileso de todo esse choque. Nas cidades, ele é comum com o acúmulo de lixo em áreas irregulares, enquanto nas zonas rurais ele acontece pelo uso de químicos agressivos. Por fim, a poluição visual também é expressiva e são responsáveis pela degradação das áreas urbanas.

Gerenciamento adequado de resíduos

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, são mais de 80 milhões de resíduos sólidos por ano e iniciativas como a separação de lixo ainda são pouco expressivas. Desse montante, aproximadamente 82% tem potencial de ser reciclado ou transformado. Mas, para isso, existem dois pontos cruciais: o entendimento de responsabilidade compartilhada e a efetivação de novas políticas de gerenciamento.

Portanto, entender que você participa da problemática dos resíduos sólidos e que possui papel fundamental nesse gerenciamento, é o primeiro passo para a mudança. Só assim conseguiremos efetivar ações como a separação dos resíduos, as coletas seletivas, os investimentos em destinações adequadas.

Seja um disseminador de informação, se envolva com o futuro das políticas de gestão de resíduos e contribua para os avanços sociais, ambientais e econômicos acerca do tema.

Se você ainda tem dificuldades em lidar com esse assunto, fale com a gente! A Legal Ambiental pode ser sua parceira no gerenciamento adequado de resíduos, garantindo o manejo, encaminhamento, armazenamento e tratamento dos seus resíduos.

51

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *