Porque é importante saber a diferença entre resíduo e rejeito

Você com certeza já conhece os dois termos, mas entende qual a diferença entre eles? Resíduo e rejeito muitas vezes são empregados como sinônimos, mas não é bem assim. Saber distinguir cada um é muito importante para fazer o descarte correto de materiais e, consequentemente, contribuir com a preservação do meio ambiente. Vamos entender melhor?

O que é resíduo?
Resíduos são materiais descartados, mas que ainda possuem vida útil, podendo ser reutilizados. A partir das sobras de determinado produto ou processo são gerados resíduos que podem ser classificados da seguinte forma: sólidos, líquidos, orgânicos ou gasosos.

Os resíduos precisam ser destinados corretamente para serem reaproveitados por meio de reciclagem ou compostagem. Esses materiais ainda possuem valor econômico e o seu reaproveitamento gera subprodutos como fertilizantes, embalagens, materiais de construção e etc. O que não serve para um pode se tornar matéria-prima de um novo produto ou processo para outro.

O que é rejeito?

Rejeito é um material sem vida útil, gerado quando todas as possibilidades de reaproveitamento são esgotadas. É um tipo de resíduo específico que não tem outra destinação a não ser a incineração controlada ou o descarte em aterros sanitários ambientalmente licenciados. O correto é que esses locais recebam apenas rejeitos.

O que fazer?

Um dos grandes problemas do mundo atualmente é a quantidade de resíduos gerados pela população e pelas indústrias. Soma-se a isso a falta de reaproveitamento desses materiais, e então a situação se torna insustentável. A gestão de resíduos se tornou uma questão central no planejamento urbano e ambiental em praticamente todas as cidades.

Inclusive, desde 2010 já existe uma Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) que orienta o poder público, mas até hoje muitos municípios continuam irregulares. Leis e normas nós já temos, o que falta é fiscalização e o engajamento das prefeituras para darem exemplos à sociedade. Muitas delas já estão sendo acionadas pelo Ministério Público com ações ambientais.

Para entendermos melhor a gravidade do problema, dados divulgados pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe) apontam que a quantidade de lixo produzido no Brasil vem batendo recorde todos os anos. São cerca de 160 mil toneladas diárias, sendo que 30% a 40% desse montante são considerados passíveis de reaproveitamento e reciclagem.

Mas, segundo uma pesquisa do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), apenas 13% dos resíduos são encaminhados para a reciclagem. O restante fica em aterros, desperdiçando seu potencial e poluindo o meio ambiente. O que precisamos é de mais conscientização para promover o descarte correto desses materiais, para que sejam, sempre  e enquanto possível, reaproveitados.

570

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *